o pior cinema do mundo

ser ruim, às vezes, requer muito esforço. é esse o caso do cinema playarte bristol, localizado no shopping center 3. não se trata simplesmente de contrariar a primeira lei de newton, é uma luta constante em busca de oferecer o pior serviço de todas as salas de são paulo.

tudo começa na confusa bilheteria, onde nunca – NUNCA – tem todos os caixas funcionando, mesmo em horários de pico. isso faz com que a fila se estenda pelos corredores do shopping atrapalhando a passagem. e olha que o ingresso não é dos mais baratos. é mais caro, por exemplo, que no espaço itaú de cinema (cinco salas) que fica a uma quadra de distância.

o playarte bristol fica no coração da avenida paulista, numa das áreas mais movimentadas e acessíveis de são paulo. às portas da estação consolação, linha verde, e da estação paulista, linha amarela, do metrô. ocupa três pisos do shopping center 3, onde circulam cerca de 50 mil pessoas diariamente. é o ponto dos sonhos de qualquer comerciante. desde agosto de 2011, o uol patrocina suas três maiores salas – e a julgar pela reforma em andamento de mais duas, a parceria deve aumentar.

as salas são novas, a localização é boa, então chegamos ao cerne do problema: os funcionários. claramente sem qualquer tipo de treinamento, eles são poucos, irritados e indispostos. dão informações erradas, quando dão, e somem sempre que necessários. outro dia, por exemplo, fui assistir à primeira sessão de ‘histórias cruzadas’ na sala quatro. por qualquer motivo nunca informado, o filme não foi exibido. ninguém na sala foi avisado, pois os funcionários preferiram sumir e esperar que os espectadores saíssem por desistência após esperar mais de trinta minutos por qualquer explicação. encontrei um funcionário em outra sala e perguntei-lhe se poderia voltar outra hora pra ver o filme o qual, afinal, havia pagado o ingresso. ele falou que ia procurar o gerente pra saber se eu “tinha esse direito”. acabei assistindo a ‘motoqueiro fantasma 2’ sem pagar.

não é só isso. no playarte bristol os funcionários jamais fecham as portas da sala depois que a sessão começa. a não ser que algum consumidor (eu mesmo já fiz isso) feche, é preciso ver o filme todo com a luz de fora invadindo a sessão. isso quando não são os próprios funcionários que atrapalham: perto do filme acabar, eles entram na sala fazendo barulho e deixando a luz entrar – e jogando o clímax das histórias no lixo.

tudo fica ainda pior quando vamos às últimas salas, seis e sete. é pra lá onde são empurrados os filmes que estão prestes a sair de cartaz, ou mesmo aqueles que ninguém bota muita fé. a sala seis abriga também uma espécie de depósito cuja porta fica AO LADO da tela. durante qualquer sessão é comum ver funcionários passeando pelos corredores da sala, abrindo e fechando a tal porta diversas vezes, iluminando o ambiente e fazendo barulho. quando reclamei à moça que ficava na entrada, ela avisou que isso só acontece quando é “extremamente necessário”. já a sala sete é a menor de todas, e sempre é invadida pelo som que vem da vizinha.

na capital paulista, cinema em shopping é o verdadeiro templo do entretenimento. numa cidade sem praia, voltada ao trabalho e ao consumo, as salas de shopping oferecem diversão com segurança a preços populares. quero mesmo continuar a frequentar o playarte bristol, já passei por momentos bons ali, vi filmes ótimos, porém tem sido impossível ter qualquer momento agradável por lá com tantos problemas. enquanto eles se esforçam pra ter o pior cinema do mundo, prefiro trocar de cinema – sem o menor esforço.

  1. Felipe Victor

    Hueheuheuheuhe, o cinema da minha cidade, tem 2, aqui em Sete Lagoas o Cine Fox tem apenas 2 salas, mas salas muito confortáveis, cadeiras totalmente ajustáveis, limpas a cada sessão, caixas sempre funcionais e acima tem uma boate que não atrapalhas as sessões.

    Já o Cine Plex (Que fica no Shopping) tem 4 ou 5 salas, todas patrocinadas pela Pepsi, são ótimas salas também, confortáveis, limpas a cada sessão, as portas das sessões são sempre fechadas como no Fox, os funcionários não atrapalham nos filmes, não há atraso em nenhum dos dois cinemas, ninguém fica na frente de ninguém por que nos dois cinemas as salas tem cadeiras elevadas, e tem salas lá no Cine Plex que cai água quando chove no filme e cadeiras se movem, mais conhecido como Cinema 6D, mas não com filmes pequenos, filmes verdadeiros como “Motoqueiro Fantasma”, é incrível.

    Por isso não tenho o que reclamar dos cinemas da minha cidade!

  2. André Zilar

    Compartilho do seu drama, Jacques. O Bristol, na minha humilde opinião, se segura pela localização. Mas vale lembrar que há poucos anos tínhamos afirmações como ” Nunca um Mcdonald`s fechará” ( e fechou ).

    Uma hora o Bristol sentirá no bolso. Por mais que São Paulo tenha um “rio de gente”, com esse atendimento eles vão conseguir irritar e deixar de ser a primeira opção de cada gota desse tal rio. Se pararmos para pensar, o cinema é uma das formas de arte que exigem menos cuidado por parte dos funcionários, se comparada à outras como a música ao vivo ou o teatro. Mas é como você disse aí: Eles têm se esforçado MUITO para terem o pior cinema do mundo.

  3. Felipe Victor

    Os Cinemas do Brasil tem que melhor mundo, pois muitas pessoas como eu amam assistir filmes novos, e esse mercado de Cinema vai subir muito, e não podemos ter funcionários ruims como o do “Playarte Bristol”, sacanagem essa história de ficar 30 hora esperando um filme e não poder assisti-lo, eles poderiam avisar, que funcionários mal ‘-‘

  4. Leonardo Vasconcelos

    vivo o mesmo drama nos cinemas de salvador, ou até pior! o descaso é tão grande que algumas salas se tornaram um lugar fétido e, onde deveriam ter cartazes eletrônicos informando os preços e horários dos filmes, tem apenas um funcionário entregando panfletos. sem contar que máquinas que permitem a compra dos ingressos via cartão de crédito estão todas quebradas, tornando ainda mais demorado o atendimento.
    ah, queria dizer que gostei muito do seu blog e estou acompanhando!

  5. jacquesdelrio

    matt, pois muito que bem!

    ton, bem feito pra quem? :/

    guii, acho que o brasil tem ótimos cinemas e profissionais. mas infelizmente, como em toda área, há aqueles que desonram toda a categoria. o melhor, creio, é jamais generalizar.

    felipe, muito bom saber da situação em sete lagoas! fiquei curioso e, de forma positiva, com inveja. qualquer dia apareço aí.

    andré, muito obrigado pela visita. também acho que vai chegar um dia em que o “rio de gente” vai parar de visitar aquele cinema, caso continue a tratar clientes dessa forma. uma pena, really.

    victor, não adianta falar isso e não convidar, né? 😛

    felipe, felizmente não precisei esperar por 30 horas, hehe. mas confesso que os 30 minutos de espera pareceram muito mais que isso! uma verdadeira eternidade.

    leonardo, aqui também não é difícil encontrar cinemas com odor forte – quase sempre culpa do carpete mal higienizado. espero que a situação dos cinemas de salvador melhore! obrigado por acompanhar o blog e compartilhar suas experiências.

  6. felipevictorm

    – Vem mesmo, aqui tem vários fãns do “4Queijos”, se é que você gosta de ser interpretado assim agora, por onde ando tem um que gosta de ti, eu mesmo, te considero como meu ídolo número #1 😀

    – OMG D: Eu coloquei “30 Hora” D: – Coloquei “horas” errado e afirmei “tem que melhorar muito” de forma incorreta :/ É que digitei rápido e não fiz um revisão no meu texto. ‘-‘

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s